ABECEDÁRIO

português | english

Arco logo

Técnicas

Muito embora os diferentes departamentos se sintam levados a conceder, consoante a natureza da sua área disciplinar, uma maior ou menor proeminência ao imperativo técnico (e a dimensão da prática se apresente, desde sempre, como parte integrante da identidade da escola), as técnicas/tecnologias não constituem o cerne do tipo de ensino e aprendizagem que distinguem o Ar.Co. Mais do que isso, a pedagogia da escola contém, no seu melhor, uma exibição do carácter operatório, subjectivo e órfão de programa do lugar “técnico” no ensino artístico actual. Por um lado, os departamentos recorrem a técnicas e tecnologias como um serviço, adquirindo este ou aquele equipamento, convidando este ou aquele especialista, artesão ou praticante de excelência, num momento dado e de acordo com os programas que desenvolvem. Por outro lado - e de uma forma nem sempre directamente ligada à prática formativa corrente -, é um facto que técnicas são demonstradas, comentadas, aplicadas e praticadas (o seu exotismo pode captar um nível mais alto de atenção nos alunos). Técnicas respeitantes à utilização da madeira ou da pedra têm forte presença na escola nos anos 80, como o terão também as técnicas da ourivesaria tradicional, os processos “antigos” na Fotografia (que, como o Design Gráfico, a Ilustração/Banda Desenhada ou o Cinema/Imagem em Movimento recorrem necessariamente, também, às novas tecnologias), mas também as inúmeras técnicas, mais e menos tradicionais, utilizadas pela Cerâmica e ainda técnicas sem “área” pedagógica que aparentemente as justifique (a tapeçaria, a tecelagem, o vitral). Se as áreas das artesanias ou crafts “de autor” são as que mais abertamente divulgam e exploram o potencial de certos saberes técnicos tradicionais ou mesmo raros, os olhares “arqueológicos” para o interior das dimensões técnicas associadas a uma ou mais disciplinas interessam todos os departamentos. Quando as novas tecnologias passam a determinar a sobrevivência e o desenvolvimento das áreas práticas (o que acontece de forma bem clara, por exemplo, nas áreas lidando com informática e registos digitais de imagem e som), a pedagogia integra esta condição com naturalidade e sem novo-riquismo, fazendo questão de não confundir a componente “técnica” com o pensamento criativo.


  • Large a simp esc pedra evora 81 16

    "Simpósio Internacional de Escultura em Pedra - Évora 81". 1981.

  • Large a work pollaroid 97 03

    Workshop "Polaroid" com jorge Guerra. Departamento de Fotografia, Ar.Co, 1997.

  • Large workshop de queima suenga dirigido por elsa figueiredo no departamento de cer mica do ar.co  2007.

    Workshop de queima soenga dirigido por Elsa Figueiredo no departamento de Cerâmica, Ar.Co, 2007.

  • Large workshop de moldes dirigido por ven ncio neves  departamento de escultura  ar.co  2006.

    Workshop de moldes dirigido por Venâncio Neves, departamento de Escultura, Ar.Co, 2006.

  • Large constru  o forno port til para raku dirigido por martim santa rita 2011

    Workshop de construção de forno portátil para queima Raku dirigido por Martim Santa Rita. departamento de Cerâmica, Ar.Co, 2011.

  • Large workshp verguinhas 2007  012xxxx

    Workshop de Cerâmica - técnica de "Verguinhas". Ar.Co, Almada, 2007.

  • Large workshop de cer mica dirigido por elsa figueiredo. t cnicas de constru  o am adobe e taipa. 2007

    Workshop de técnicas de construção em adobe e taipa dirigido por Elsa Figueiredo. Departamento de Cerâmica, Ar.Co, 2007.

  • Large workshop colidio humido 2010 luis pavao e...ambrotypes wet collodium process

    Workshop de Ambrotipos/processo de colódio húmido com Luís Pavão. Departamento de Fotografia, Ar.Co, 2010.